terça-feira, 19 de maio de 2009

Protótipo amordélico de mensagem digital

Na estrada vou passando.
Casa por casa, amor por amor.
E vou vendo meu coração da janela.
Na velocidade do ônibus os amores entram e saem da minha vida.
É mais um dia, é mais uma viagem.
Cada aeroporto é um novo romance.
Confundindo os nomes como as cores das casas, que rápidas passam pelos meus olhos.
Não estamos acostumados com a poesia.
O nosso dia a dia é feito de prosa por computador.
Aquele servidor que está sempre ocupado é o do amor.
E o meu email não fala de você.
Faço uma impressão digital e o que consigo visualizar é minha consciência que está fora do ar.
Na pragmática da tecnologia eu não sei amar.
São tantas desculpas que me escondo em uma tela cibernética.
Digo um oi, e logo estou saindo.
Digo um bom dia e saio do convencional.
A minha imagem refletida é a única coisa real nesse mundo virtual.
Uma crise para se alastrar e mais dinheiros para se comprar.
Tudo é virtual.
Mais pessoas para matar e um dólar para eu ganhar.
Sigo meu caminho dentro do meu infinito que me remete as minhas limitações.
Não quero mais que um olhar.
Não quero mais que uma paz.
DESCULPE ERRO DE PROGRAMA!!!!!
Minha bateria vai ficando fraca.
A energia. O mundo consumio.
Vou cair no piloto automático.
E deixar o vento me levar.
Ser mais um nessa inércia coletiva.
E enfiar guela abaixo os enlatados que me vendem na farmácia.
E as drogas? Compro somente na drogaria.

Boa noite, bem vindo a realidade.


Auíri Tiago

17 comentários:

Camila disse...

ameei ler tdo isso *-*

Joo disse...

=D

Anthony Dostoiévski disse...

"Amo el amor de los marineros, que besan y se van..."
Pablo Neruda.

Hoje somos marinheiros da fibra ótica.
Muito bom o texto

Kari disse...

Não. Não podemos deixar o piloto automático vencer... Não podemos ser mais um em meio a multidão.

Queria "reclamar" do teu sumiço, mas nem posso porque sumi também... heheheheh

Saudade de tu, visse?
Beijão

ma! =) disse...

Você escreve bem, parabéns.

Psicodellicuss Girl disse...

Adorei!
Somos uma nova geração de digitalizados e falsos!

Maria disse...

Tão dura esta vida. Podemos pelo menos poetizar das mazelas? Podemos ver alguma cor viva no caus escuro em que estamos? Diz que sim, sem enganos...

Meu beijo

ma! =) disse...

ah, casa no sul.. sonho meu! amo o frio. =)

Hariane disse...

Devemos fzer a diferença!


Lindo lindo!

Bj

Tamara disse...

Poucas pessoas traduzem o que sentem em um papel, e mais raras são aquelas que nos tocam quando escrevem... parabéns, você é uma delas! :)

Dressa Ferreira disse...

Poxa, você escreve muito bem...
e abre a vontade de ler mais aqui!
Adorei, vou voltar sempre
Bjus ;*

DIVÃ DA MULHER disse...

Oi passando p conhecer..
Legal mais um mineiro..Montes Claros..acho q um amigo meu está morando aí..ele é músico...Flávio...

Então,escreve bem..gostei!

pimentinhabm disse...

as vezes eh tao automatico que cai na mesmisse do dia a dia...

Dri Viaro disse...

muito legal
bjs

Natty disse...

Pura realidade, assim que é bom. beeijos e muito obrigada pela visita!

Patrícia disse...

Estamos cada vez mais automáticos e cheios das mesmas mazelas.

Marcela' disse...

Nossa, eu adoro ler o que você escreve, sempre me faz pensar, mas pensar de verdade!
O jeito como você escreve sobre qualquer coisa é muuito legal :)
Baci.