sexta-feira, 17 de outubro de 2008

A trajetória do papel (ou a sua!).

A travessia parece perigosa, cheia de obstáculos e desafios. A noite é uma criança e a ignorância dessas pessoas a torna mais misteriosa ainda.
O dia é um adulto que tenta ser o que não foi durante os seus sonhos pela noite. Entre uma esquina e outra a minha vida pode estar no fim, ou simplesmente demorar a eternidade para me encontrar do outro lado.
Os carros passam. O vento me leva. A sorte me diz oi. E a minha estadia está na mão do acaso.
Sou entregue.
Sou pequeno.
Me sinto pequeno.
O mundo parece tão grande para mim, com seus enormes detalhes e suas simples cores que cegam a minha vontade de me tornar humano.
Daqui de baixo, me sinto seguro, diferente dai de cima. Não deveria ser, mais é.
A sua pressa pode acabar comigo. O desejo de parar o tempo e correr atras dele, decide a minha existência em apenas alguns milésimos de prazeres que te conheci.
Não tenho ninguém em quem confiar.
Conheço alguém e não sei por quanto tempo irá ficar por perto.
Nada posso.
Nada quero.
Vou me deixando levar....
Sou apenas um papel de bala.
Perdido na cidade grande.


Auíri Tiago

31 comentários:

Cláudia I. Vetter disse...

O perigo é uma corrente.

DROP THE LEASH!

;***

Te cuida, meu caro.

Lorena Portela disse...

essa do papel de bala é boa!

esse é o papel de muita gente.

obrigada pela visita. volte sempre, rsrs.

ah! seu cabelo é bonito.

;**

Tâmara disse...

Espero que sua trajetória seja marcada de encontros. Beijos!

Leti * disse...

Simplesmente identificação!
Mostra o que está se passando, o que é sentimento.

Genial, como sempre! ^^

Beeijos
Te adoro!

Anônimo disse...

um papel de bala ou um copo de plástico??

Não entendi o final do seu texto. :(
Adooooooooorooooooo voce

beijo

Auíri Au disse...

Hehehe, em nenhum momento eu cito copo de plástico, acho que se confundiu não?
Se bem que a papel ai não tem muita importância.
O final refere se a monotonia e a mecânica que a vida de algumas pessoas se tornaram...nada fazem para mudar...apenas deixam se levar.
Aceitam tudo que lhe acontecem.
Obrigado pelo comentário...
Seja sempre bem vinda!!!

Joana disse...

É muito bom, ver você de volta.
Não suma, eu gosto de ler o que você escreve.

Palavras de um mundo incerto disse...

Bah, irmão, teu texto é foda! Graças aos papéis de balas que existem por aí, é que conseguimos idealizar fatos com a vida.

Ah, tenho uma novidade pra te contar. Comprei ontem um livro de poesias do Carlos Drummond de Andrade, "ClARO ENIGMA". Adoro como ele vê o mundo. Sabia que ele e o Mario Quintana eram grandes amigos e ambos são guardiões da Praça da Alfândega, onde todo o ano é realizada a feira do livro?

Bah, obrigado meu amigo por ter voltado a escrever e ei(reforçando pedido da joana), não pare de escrever, pois o que tu escreve, é do fundo da tua alma.


Abs



Marcos Deiter

LuuhLeite disse...

Oi!
Verdade, o que seríamos de nós sem isso tudo?
Nada? Talvez!
Mesmo muitas pessoas não tendo o amor e não tendo palavras pra expressar seus pensamentos e tal.
Obrigada pelo comentário. (;
Noossa, li seus textos, adorei.
Gostei muito do "Tudo igual no país do futebol".
Fazer o que, né? É assim que é o nosso país.
Um país que polícia briga com polícia, em vez de estar combatendo o crime nas ruas.
Mas, o importante é a felicidade.
Ah, vou te linkar pra continuar lendo seus textos.
beejoo**

nuh disse...

Sou apenas um papel de bala.
Perdido na cidade grande.

ou perdido dentro de si mesmo.
é claro que aí depende do papel.

=)

baah * disse...

me lembrou Cazuza: "já que eu não posso te levar, quero que você me leve..."

Baah disse...

aaah, saudades!

o que me vier à real gana disse...

Somos leves, sim!... Pesado é o mundo... e nos temos por tarefa carregá-lo! Faz parte do grande plano!

Bomfim-de-semana!
Se puderes comenta o novo post do "real gana".

Varda disse...

Seu texto me deu ideias,para um projeto da escola
o/

Kari disse...

É porque é tão mais fácil deixar a vida levar... E as pessoas estão sempre tão ocupadas, atarefadas e cansadas e não fazem mais nada para mudar ou melhorar o que está em volta...

Adoro as reflexões que tu faz, visse?
E vê se não some...

Beijão

Nadezhda disse...

Todos nós devemos ser apenas papeis de bala perdido na cidade grande (e até na pequena).

"O dia é um adulto que tenta ser o que não foi durante os seus sonhos pela noite". (Se era para ser uma metáfora, gostei!)

;)

Biia (: disse...

Nossa.. vc parece TANTO TANTO TANTO com meu amigo Iago.. nossa fiquei bobaa.. nussa parece muitoooooooooooo :D~

E eu tb me deixo levar.. assim como um papel de balinhaa ^^


Beeeeeeeeeeeeijoss :*

Sheila disse...

Obrigada pela visita e pelas lindas palavras que por lá deixou.
Espero que passe sempre para ler as coisas que escrevo, nem sempre são profundas ou interessantes, mas eu tento.
Seu blog também é muito legal e um canal de inspiração pra mim.
bjos

A n i n h a a disse...

sinto-me como o seu papel de bala, as vezes .-.
portanto, compreendo-o certamente (y)

ahsuahsas
beiijos

Camila disse...

depois disso eu percebi que somos pedaços de papel!
ahhaha
adorei!

Atualizei lá a história viu!
beijo

Aline Dias disse...

é, somos papél ...

Wolf_Angel disse...

se eu acho um papel de bala desses por aqui, eu juro que desamasso e faço desacreditar da sorte e do acaso.
Confia em ti mesmo, é só o que precisa.
"faz o que tu queres pq é tudo da lei"
não deixe suas palavras sumirem tanto quanto as minhas, parceiro.
sopros d luz!
=***

Psicodellicuss Girl disse...

Mtas pessoas já se sentiram exatamente assim, experiência própria...

Amei a frase q vc citou no comentário e será que posso faze uma pergunta? Qual o significado do teu nome?

Bjs!

B... disse...

legal...aki hein.....!!!
papel de bala....hm...
parabéns pelo blog

kelly disse...

que bonitinho um papel de bala rss
bJx t_+

Flávia disse...

E quem nessa vida nunca se sentiu um papel de bala?

Beijo, moço:)

o que me vier à real gana disse...

Cool aqui sempre!
Olha, se tiveres um tempito, comenta o novo post do "real gana", tá?
Agora apanhei o vício de vir aqui ao Brasil, pronto!...

Psicodellicuss Girl disse...

Obrigada pela informação tah!
Curiosa né? Rsrsrrs

Tatah Marley's Confissões disse...

vce é legal, bonito, vitaminado e cheio de energia e criatividade pra dar e vender!
*.*
ótimo texto!

decoti disse...

Olá,
Pela primeira vez aqui, e digo que gostei muito! E o papel de bala vai se deconpondo na terra! Legal! Até!

Cristal disse...

N maioria das vezes, usamos a falta de tempo para justificar a falta de mudanças, mas aí é que está o problema. A falta de tempo ocorre porque achamos que temos que saber de tudo, participar de tudo, comprar tudo... Se soubéssemos distinguir o que realmente é importante na nossa vida e que nos fará feliz, daquilo que apenas faz parte da nossa ganância, ou até, da competitividade que existe bem lá no nosso íntimo, em querer sempre saber tanto quanto ou mais que o outro, e o mesmo se aplica para o verbo TER e SER, com certeza teríamos mais tempo...
Abraços amigo...